Historiografia e História do Design Gráfico

IR: Gonçalo Falcão

DHisto - Design, História e Quotidiano

DHisto - Design, History and Everydaylife

Sendo uma disciplina académica relativamente recente, a história do design tem sofrido várias críticas relativamente ao modo como se estrutura e aos filtros geográficos, de encomendadores e do número de objectos que considera. É ainda questionada sobre o período temporal em que mais se foca ao admitir a revolução industrial como um momento fundador em vez de apenas uma milestone. Este projecto investiga a construção de modelo historiográfico para a história do design; não se pretende criar apenas uma ferramenta, mas uma estrutura que permita estabelecer um olhar diferente sobre a disciplina, sobre os seus objectos e sobre a sua geografia, contribuindo para um olhar mais produtivo no ensino e na vida económica.

Coleção Carlos Rocha - Exposição no MUDE

Carlos Rocha Colection - An exhibition at MUDE

Curadoria e Exposição da Coleção Carlos Rocha no Museu do Design e da Moda - MUDE. A Exposição “O mundo vai continuar a não ser como era!” reflete as grandes mudanças da vida quotidiana em Portugal e os diferentes contextos políticos e socioeconómicos do nosso país, desde a década de 1930 até ao início do século XXI. Ainda em vida, Carlos Rocha (1943-2016) expressou o seu desejo de se fazer uma exposição que apresentasse o seu trabalho à frente da Agência Marca e da LETRA Design, o trabalho de seu pai, Carlos Rocha Pereira (1912-1992) e o trabalho de seu tio, José Rocha (1907-1982), na ETP – Estúdio Técnico de Publicidade. Através desta genealogia familiar, a força do design gráfico e a sua importância na comunicação de Estado e na publicidade comercial e industrial em Portugal ganha relevo, pois estes três designers conceberam marcas, imagens e publicidade para os vários sectores de produção nacional desde a energia, a banca, os seguros, os transportes, as telecomunicações, os combustíveis, a eletricidade, o turismo e a indústria farmacêutica ou do vinho.

História do Design/Design de produto

IR: João Paulo Martins

Móveis modernos. A actividade da Comissão para Aquisição de Mobiliário no âmbito da Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais

Modernfurnishing. The work of the 'Comissão de Aquisição de Mobiliário' (Furniture Acquisition Commission) in the scope of the 'Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais' (General-Directory of Buildings and National Monuments)

Estudo sistemático e multidisciplinar da actividade da Comissão para Aquisição de Mobiliário, que funcionou no âmbito da Direcção Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais (Ministério da Obras Públicas, Portugal), nomeadamente a sua importância na conformação dos espaços interiores dos monumentos nacionais e dos edifícios destinados a equipamentos públicos.  A investigação centrou-se no estudo do arquivo desta instituição, com extensões a outros acervos documentais considerados relevantes, desenvolvendo enfoques especializados e complementares (design e projecto; administração e quadro legal; tecnologia e indústria; valores e significações) capazes de fornecer um panorama abrangente dos fenómenos considerados.

Móveis modernos II. Mobiliário para edifícios públicos em Portugal.

Modern furniture II. Furniture for public buildings in Portugal

Na sequência directa da investigação e dos resultados obtidos com o projecto "Móveis modernos. A actividade da Comissão para Aquisição de Mobiliário no âmbito da Direcção-Geral dos Edifícios e Monumentos Nacionais. 1940-1980", empreendeu-se o estudo de casos anteriormente não considerados, em especial edifícios públicos projetados e mobilados por outras entidades do Estado (casos das cidades universitárias de Coimbra e de Lisboa), edifícios de iniciativa privada (como hotéis, sedes de empresas, bairros para funcionários), bem como a produção de unidades industriais específicas (a fábrica Olaio, a fábrica Portugal, a FOC, por exemplo) ou autores (José Espinho, Daciano da Costa, José Luís Amorim dentre outras). A partir das bases já estabelecidas, alargou-se o âmbito do estudo, ao mesmo tempo que aprofundou-se e detalhou-se os casos abordados; o trabalho foi desenvolvido em relação directa com as entidades detentoras de espólios significativos com as quais são estabelecidas parcerias pontuais para se alcançar objetivos de estudo, valorização, preservação e disseminação tão imediatos quanto possível.

A ver passar os comboios. Projecto e construção de arquitectura ferroviária e material circulante ferroviário em Portugal (1900-1985)

Trainspotting. Design and construction of railway architecture and railway rolling stock in Portugal (1900-1985)

No âmbito dos estudos sobre a história contemporânea das disciplinas do projecto em Portugal, na sua relação com a cultura material, a vida quotidiana e o imaginário dos cidadãos, buscou-se desenvolver uma investigação sobre o material circulante ferroviário projectado, produzido e usado em Portugal durante cinco décadas do século XX. O objectivo foi de reconhecer e valorizar um sector da indústria no qual o projecto, a produção e a exploração comercial assentam numa teia de relações complexas e onde predominam autorias colectivas e institucionais. Em Portugal, a historiografia do design industrial tem privilegiado a identificação dos autores mais relevantes e a leitura das respectivas obras, privilegiando relações de contiguidade com as artes decorativas, as manufacturas e o artesanato. Pelo contrário, este projecto de investigação assumiu a necessária alteração de paradigma de enfoque e uma metodologia multidisciplinar, valorizando autorias “polifónicas” ou difusas e sectores de produção industrial intensiva.

?>